PROTOCOLO INTERNO DE HIGIENIZAÇÃO NO CONTEXTO DE CRISE SANITÁRIA PROVOCADA PELO COVID-19

 

É de salientar que grande parte das medidas abaixo descritas já eram efetivas antes da presente crise.

DURANTE A CRISE
  • Os espaços comuns interiores não estarão acessíveis com a excepção dos espaços dedicados ao pequeno-almoço (periodo de utilização: entre as 8 e as 10h, todos os dias). Estes últimos deverão ser usados com duração minima.
  • Os tapetes e carpetes serão removidos das zonas de passagem (se houver mais de um grupo na casa principal) assim como a grande maioria dos objetos decorativos.
  • A circulação no interior da Quinta deverá ser feita com porte de mascara.

Colaboradores

  • O uso de mascara e de luvas é obrigatório durante a limpeza.
  • Durante o check-in e check-out ou quando de qualquer interação com clientes em espaços interiores, o uso de máscara é obrigatório por ambas as partes.
  • Nenhum colaborador se deve apresentar na Quinta apresentando qualquer tipo de sintoma de doença.

Limpeza e higienização dos espaços interiores

  • Os quartos e casas de banho serão limpos com detergentes essencialmente á base de lixivia e desinfectados com soluções contendo no mínimo 70% de álcool. Uma especial atenção será dada aos elementos de contacto frequente como interruptores, puxadores de portas, etc.
  • A roupa de cama e toalhas serão removidas das camas com especial cuidado para que partículas não sejam levantadas e após desinfeção. Da mesma forma, o conjunto será sistematicamente desinfectado e lavado a altas temperaturas na lavandaria parceira.
  • Os espaços comuns de acesso e passagem serão desinfectados varias vezes ao dia, sobretudo os elementos de contacto frequente como interruptores, puxadores de porta e corrimãos.
  • Não haverá manutenção diária dos quartos para reduzir ao máximo o risco de exposição. As trocas de toalhas e roupa de cama deverão ser solicitados pelos hóspedes em caso de necessidade.

Refeições

  • A desinfeção das mãos é obrigatória á chegada á sala de refeições.
  • Não haverá buffet para o pequeno-almoço; os pedidos serão efetuados aos responsáveis que realizarão o prato na cozinha tomando todas as precauções necessárias de higiene (porte de máscara e mãos desinfectadas frequentemente).
  • O tempo na sala de refeições deverá ser reduzido ao máximo e limitado ao tempo necessário para comer para uma rotação mais eficaz e para reduzir ao máximo o contacto entre hóspedes.
  • O numero de hóspedes na sala de refeições está limitado a 50% da capacidade normal e a distância de 2m entre estes deverá ser respeitada.
  • O porte de máscara é obrigatório desde que não se esteja sentado á mesa.
  • A loiça será lavada na máquina a alta temperatura.
  • Não é permitida a tomada de refeições na sala de refeições fora jantares organizados pela gerência.

Espaços comuns exteriores

  • Estes poderão ser utilizados sem máscara. Uma distância de 2m entre hóspedes não pertencendo a um mesmo grupo deverá ser respeitada.
  • A piscina tem um nível normal de cloro. O controlo da qualidade da água é efetuado semanalmente.
  • Dentro da piscina, a distância de segurança terá de ser respeitada entre hóspedes não pertencendo a um mesmo grupo.
  • As espreguiçadeiras entre grupos diferentes de hospedes deverão ter no mínimo 2m entre elas.

Em caso de existência de sintomas

  • No caso de existência de sintomas, o hóspede deverá comunicar imediatamente os factos á gerência e permanecer em quarentena no seu quarto assim como o/a eventual acompanhante. A situação será comunicada á DGS que tomará as medidas necessárias.
  • No caso de a estadia chegar ao fim, um espaço está previsto para receber o doente e a/o acompanhante o tempo necessário á resolução da situação.
  • O hospede terá o devido apoio da parte de gerência até ao momento da sua partida.
  • No caso de doença num periodo de 2 semanas após o final da estadia, o cliente deverá informar a gerência e vice versa.